25/02/2021

RN VAI COMEÇAR A VACINAR IDOSOS A PARTIR DE 80 ANOS COM ESSE NOVO LOTE

O Rio Grande do Norte recebeu nesta quarta-feira 24 um novo lote de vacinas. Ao todo, foram 35 mil doses do imunizante da Astrazeneca/Oxford. A expectativa é de que 19.400 doses da Coronavac cheguem ao Estado nesta quinta-feira 25, totalizando 54.400 doses.

A governadora Fátima Bezerra (PT) disse que o Ministério da Saúde confirmou o envio de doses para iniciar a imunização de indígenas. As doses recebidas na tarde desta quarta-feira 24 foram armazenadas na Unidade Central de Agentes Terapêuticos (Unicat) e começam a ser distribuídas nesta quinta 25 para aplicação.

Das 35 mil doses da Astrazeneca/Oxford, 21.927 serão destinadas aos idosos com idade de 85 a 89 anos. Com essas doses, será possível vacinar 100% dos idosos dessa faixa etária. Ao todo, 8.996 doses serão destinadas a trabalhadores da saúde e 2.920, aos indígenas do estado. Já das 19.400 da Coronavac, 9.223 serão destinadas para a primeira dose da vacinação de idosos com idade entre 80 a 84 anos.whatsapp image at 1 295 930x524 1 RN vai começar a vacinar idosos a partir de 80 anos com esse novo lote*ROBSON PIRES

QUASE METADE DOS PACIENTES COM COVID-19 EM LEITOS CRÍTICOS NO RN TEM MENOS DE 60 ANOS

 

Pacientes que não são idosos representam atualmente 47% dos internados em todo o estado. Crescimento desse perfil foi de 60% entre dezembro e fevereiro.
O número de pacientes com menos de 60 anos de idade que estão em leitos críticos nos hospitais do Rio Grande do Norte representa atualmente 47,66% de todos os internados.
Os números constam no Regula RN, plataforma que monitora em tempo real as internações e o perfil dos pacientes no estado. Atualmente, 112 pessoas abaixo dos 60 anos estão em leitos críticos. Os idosos são 123 internados.
De acordo com o epidemiologista Ion de Andrade, da UFRN, o crescimento no número de pessoas mais jovens nos leitos de UTI e semi-intensivo foi de 60% nesses dois primeiros meses de 2021.
"O que está acontecendo atualmente é um crescimento acelerado do percentual de jovens nos internamentos. Em 25 de dezembro, nós tínhamos 28,9% dos leitos ocupados por jovens, que nesse caso significam pessoas com menos de 60 anos".
"Hoje esse percentual chega a 48% praticamente. Isso representa um crescimento de mais de 60% em dois meses da participação desses mais jovens na ocupação de leitos".
Segundo o médico epidemiologista Ion de Andrade, dois fatores contribuem para esse atual cenário: a superexposição dos jovens ao vírus, o que facilita o contágio e também a circulação, e as novas variantes.
"Essa cepa nova, a P1 (encontrada em Manaus), tudo leva a crer que produz casos de maior gravidade entre jovens, de forma que essa hipótese também é possível no sentido de que, desde dezembro, em função da chegada de milhares de turistas, nós tenhamos a circulação de um vírus que produz casos mais graves entre jovens", falou.
A facilidade no contágio também é considerada. "Essas novas variantes, de Manaus e do Rio de Janeiro, o que se vê até o momento é que elas têm uma maior transmissibilidade. Transmite entre as pessoas com maior facilidade", diz o médico infectologista Igor Queiroz.
"Então, se ela transmite mais fácil, se esses jovens estavam tendo mais aglomerações, isso facilita a transmissão entre eles, e acaba tendo um maior número de infectados".
A superexposição dos jovens também é citada pelo infectologista Igor Queiroz. "A gente vê que muitas das medidas preventivas passaram a ser desrespeitadas e foram relaxadas. Vimos no fim de ano, Natal, réveillon, veraneio, muitas aglomerações, especialmente dos jovens, onde a transmissão ocorreu com grande facilidade".
Esse dado é considerado preocupante no atual estágio em que o RN tem taxa de ocupação acima de 80% nos leitos críticos e a Grande Natal está na casa dos 90% e praticamente sem nenhum leito crítico à disposição.
Isso porque o maior agravamento da doença nos mais jovens não tem substituído o perfil dos idosos nas UTIs - eles também seguem sendo internados, o que aumenta a ocupação.
Como base de comparação, em agosto de 2020, em meio ao pico da primeira onda da Covid-19 com a superlotação dos hospitais no RN, as pessoas abaixo de 60 anos representavam 25% dos internados.
"Não significa que o quantitativo absoluto de idosos internados tenha diminuído. É por isso que há essa explosão de casos. Os idosos permanecem numerosos. E agora também os mais jovens. Isso é preocupante, porque não está havendo uma substituição dos idosos pelos jovens. Está havendo é uma chegada de um contingente maior de jovens numa proporção até aqui nunca vista", explicou o médico Ion de Andrade.
Todos os leitos foram direcionados para uma epidemiologia da doença que privilegiava os internamentos em idosos. A epidemiologia da doença começa a mudar abrindo espaço pra uma ocupação de leitos por jovens, sem que o quantitativo de idosos diminua. É como se a mancha da epidemia tivesse se ampliando do ponto de vista das faixas etárias em que a doença pode se desenvolver com gravidade"
O epidemiologista Ion de Andrade considera que essa é mais uma "má notícia", que se agrega à lenta vacinação contra a doença no estado e no Brasil. O RN imunizou 2,3% da população após um mês de campanha de vacinação. O estado recebeu cerca de 210 mil doses de imunizantes ao todo até o momento.
"Se a população estivesse vacinada em maior percentual, é pouco provável que nós estivéssemos sofrendo com a circulação de um novo vírus", disse.
Para o infectologista Igor Queiroz, a forma de mudar o atual cenário passa principalmente pela conscientização coletiva. "É conscientização. A gente vê decreto para fechar bares, comércio. Se as pessoas não tiverem consciência de fazer sua própria parte, vão ser medidas tomadas em vão e a pandemia não será controlada".

Fonte: G1

23/02/2021

LENDA URBANA: NO RN SURGE A HISTÓRIA DA MULHER QUE DIZ QUE É O "SATANÁS VERDADEIRO"

c

O blog João Moacir narra a mais atual lenda urbana surgida no RN nos últimos dias.
Semana passada foi replicada em vários grupos de WhatsApp da região Oeste do RN, a história de uma mulher que chegava a uma residência e pedia alguma coisa.
Uma suposta pessoa que teria sofrido essa abordagem, a princípio seria em Mossoró, narra que a dita mulher teria chegado a sua casa e pedido água e depois pediu um jambo ao que ele disse que se ela conseguisse tirar, ela poderia pegar.
Diz ele que quando olhou a mulher havia, sem sair do chão, esticado o braço que cresceu ao ponto de alcançar a fruta numa altura superior a 3 metros.
Outra pessoa teria perguntado quem era ela e a resposta foi assustadora.
Ela teria dito que era o satanás verdadeiro.
De outra parte surge relatos que ela teria sido vista perseguindo um carro a pé sem nenhum esforço.
Ainda contam que a polícia teria tentado capturá-la, mas ela foge facilmente.
E então, já ouviu falar dessa história ai na sua região?

O que é são lendas urbanas segundo a wikipédia

Lendas urbanas, mitos urbanos ou lendas contemporâneas são pequenas histórias de caráter fabuloso ou sensacionalista, amplamente divulgadas de forma oral, por e-mails ou pela imprensa e que constituem um tipo de folclore moderno. São frequentemente narradas como sendo fatos acontecidos a um "amigo de um amigo" ou de conhecimento público.
Muitas delas já são bastante antigas, tendo sofrido apenas pequenas alterações ao longo dos anos. Muitas foram mesmo traduzidas e incorporadas a outras culturas. É o caso, por exemplo, da história da loira do banheiro, lenda urbana brasileira que fala sobre o fantasma de uma garota jovem de pele muito branca e cabelos loiros que costuma ser avistada em banheiros, local onde teria se suicidado ou, em outras versões, sido assassinada.
Outras dessas histórias têm origem mais recente, como as que dão conta de homens seduzidos e drogados em espaços de diversão noturna que, ao acordarem no dia seguinte, descobrem que tiveram um de seus rins cirurgicamente extraído por uma quadrilha especializada na venda de órgãos humanos para transplante.
Muitas das lendas urbanas são, em sua origem, baseadas em fatos reais (ou preocupações legítimas), mas geralmente acabam distorcidas ao longo do tempo. Com o advento da Internet, muitas lendas passaram a ecoar de maneira tão intensa que se tornaram praticamente universais

ENTIDADES DO COMÉRCIO E DO TURISMO SOLTAM NOTA CONJUNTA E VÃO PEDIR SOCORRO AO GOVERNO DO ESTADO

Antes de mais nada é importante ressaltar que o setor turístico e a Fecomércio RN sempre foram a favor da vida. O recrudescimento dos casos de Covid-19 é um tema grave e precisa seguir sendo encarado com toda a responsabilidade. Nossa postura de atuar na formatação do Plano de Retomada da Economia, do Plano de Retomada do Turismo, dos cursos de capacitação e qualificação para implantação de normas de biossegurança (a imensa maioria deles, gratuita) e no projeto SOS Protocolos, realizado pela Fecomércio RN em parceria com o Sebrae e a CDL Natal, são algumas das provas incontestes deste nosso posicionamento.

O que nos causa preocupação é que, ao limitar, de maneira generalizada, o funcionamento do setor de bares e restaurantes, os decretos (estadual e das principais prefeituras do estado), punem, injustamente, um segmento que já vem sendo um dos mais prejudicados com toda a crise e do qual dependem dezenas de milhares de famílias.

Importante destacar, que defendemos os estabelecimentos que trabalham cumprindo todos os protocolos de biossegurança. E, podemos garantir, eles são a imensa maioria deste universo, por isso a generalização é tão injusta, a nosso ver. Ressalte-se, ainda, que não há nenhuma contaminação comprovada em bares e restaurantes que cumprem os protocolos de biossegurança.

Diante disso, estamos formatando, no âmbito da Câmara Empresarial de Turismo da Fecomércio, um pacote de sugestões que pretendemos apresentar ao Governo do Estado e às prefeituras. Trata-se de uma tentativa de evitar que as empresas quebrem, o que não seria nada bom para ninguém. Nem para as empresas, nem para os seus colaboradores e nem, muito menos, para os entes públicos, que deixam de recolher impostos.

Entre outras coisas, pretendemos sugerir ações nas áreas fiscal, tributária, de concessão de crédito, treinamento e suporte à fiscalização dos estabelecimentos. Nosso apelo, repetimos, está centrado em amenizar o forte impacto negativo que prevemos para o setor com mais esta medida. Em paralelo, aproveitamos para reforçar a extrema importância de que os novos leitos de UTI já anunciados pela prefeitura de Natal e pelo Governo do Estado sejam efetivamente postos em funcionamento o mais breve possível, visto que tal medida irá impactar diretamente no salvamento de vidas, que é o foco maior de todos nós.

Marcelo Queiroz

Presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do RN (Fecomércio RN)

George Costa

Coordenador da Câmara Empresarial do Turismo da Fecomércio RN (CET Fecomércio)

Habib Chalita

Presidente do Sindicato dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do RN (SHRBS RN), membro da CET Fecomércio

Paolo Passarielo

Presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes no RN (Abrasel), membro da CET Fecomércio

Abdon Gosson

Presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis no RN (ABIH RN), membro da CET Fecomércio RN

George Gosson

Presidente do Natal Convention Bureau, membro da CET Fecomércio

Rútilo Coelho

Presidente do Mossoró Convention Bureau, membro da CET Fecomércio

Francisco Câmara Júnior

Presidente do Sindicato das Empresas de Turismo do RN (Sindetur), membro da CET Fecomércio

Michele Pereira

Presidente da Associação Brasileira dos Agentes de Viagem do RN (Abav RN), membro da CET Fecomércio

José Maria Pinheiro

Vice-presidente da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo do RN (Abrajet), membro da CET Fecomércio

Wanderson Borges

Presidente da Associação dos Hoteleiros de Tibau do Sul e Pipa (Ashtep)


22/02/2021

UFRN CONFIRMA PRESENÇA DE NOVAS VARIANTES DO CORONAVÍRUS NO RN

 

  O Instituto de Medicina Tropical (IMT) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) participou do sequenciamento genético do coronavírus, observando que novas variantes do vírus estão circulando no RN. A diretora do IMT-UFRN, Selma Maria Bezerra Jerônimo, alertou ainda sobre o “aumento importante” na quantidade de testes positivos para covid-19 desde dezembro de 2020, chegando a 64% de exames positivos realizados pela unidade em fevereiro de 2021.

A pesquisa que confirmou a circulação de novas variantes do coronavírus foi realizada por meio do sequenciamento genético e está analisando 91 amostras do SARS-CoV-2, provenientes do Rio Grande do Norte e da Paraíba. Com materiais genéticos coletados nos meses de dezembro de 2020 e janeiro e fevereiro de 2021, foi possível identificar a linhagem P1 que foi inicialmente encontrada em Manaus (AM), além da linhagem P2 , descrita no Rio de Janeiro e que está se disseminando pelo Brasil.

Selma Jerônimo ressalta que as amostras foram coletadas em dezembro de 2020 e as variantes vêm circulando no Nordeste desde esse período, o que mostra a importância da manutenção da vigilância. Além disso, como as novas mutações do vírus estão associadas a uma possível maior dispersão, ela também reforça a importância das medidas de prevenção, como distanciamento social, higiene das mãos e uso de máscaras.

A pesquisa foi financiada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e pelo Ministério da Educação (MEC), com a colaboração de pesquisadores do Laboratório de Bioinformática do Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC-MCTI), Ana Tereza Vasconcelos; do IMT-UFRN, Selma Jerônimo e Francisco Freire; do Departamento de Biologia Celular e Genética (DBG-UFRN), Lucymara Fassarella Agnez Lima e Katia Castanho Scortecci; além do Laboratório de Biologia Molecular da Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

A inciativa é ainda parte da Rede Corona-ômica-RJ da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ) e da Corona-ômica-BR, que é financiada pelo MCTI, Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Os resultados do estudo foram comunicados às Secretarias de Saúde do Município de Natal e do Estado do RN, para que tomassem conhecimento e efetuassem as medidas cabíveis.

Fonte: BG

VACINA DA PFIZER FREIA TRANSMISSÃO DA COVID-19, DIZ ESTUDO ISRAELENSE


A vacina contra a Covid-19 desenvolvida pelas farmacêuticas Pfizer e BioNTech ajudou a frear a transmissão da doença em Israel, de acordo com dados preliminares de um estudo feito pelos laboratórios em parceria com o governo israelense, informou a Bloomberg neste domingo (21).

Uma versão preliminar da pesquisa, compartilhada em rede social e confirmada por uma fonte ouvida pela Bloomberg, indica que o imunizante tem eficácia de 89,4% na prevenção de casos de coronavírus confirmados em laboratório. O estudo ainda não foi submetido à revisão por pares, e portanto ainda não tem o respaldo da comunidade científica.

O estudo é relevante pois inclui casos assintomáticos da doença, que ajudam a propagar o vírus ainda que os indivíduos contaminados não apresentem sintomas. Os dados sobre a vacina disponibilizados pela Pfizer/BioNTech até agora dizem respeito somente à eficácia da vacina em prevenir casos sintomáticos de Covid-19.

Caso os dados coletados em Israel se confirmem, serão um importante indício de que a vacina poderá ajudar a desenvolver a imunidade coletiva (ou imunidade de rebanho) contra o vírus, considerada a melhor estratégia para a superação da pandemia.

Em um comunicado separado, o governo israelense disse que a vacina Pfizer/BioNTech tem eficácia de 99% na prevenção de mortes causadas pelo coronavírus.

Israel, que iniciou sua campanha de imunização em dezembro, já vacinou cerca de metade de sua população (o que não inclui os palestinos que vivem em territórios ocupados na Cisjordânia e na faixa de Gaza). Nenhum outro país vacinou uma parcela tão grande de seus habitantes.

O Brasil não comprou vacinas Pfizer/BioNTech. Até agora, o plano nacional de imunização contra a Covid-19 inclui vacinas da Oxford/Astrazeneca e a Coronavac, desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac.

FOLHAPRESS

BOLSONARO PRESSIONA POR CONTA DE LUZ MAIS BARATA COM R$ 70 BILHÕES DE FUNDO E TRIBUTOS FEDERAIS

 



O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pressiona as equipes econômica e de energia por medidas para baixar a conta de luz. A ideia é usar R$ 70 bilhões de um fundo setorial e tributos federais para reduzir tarifas. O movimento é feito atento à reeleição. A investida ocorre após a intervenção política na Petrobras.

Na sexta-feira (19), o presidente indicou o general Joaquim Silva e Luna para comandar a estatal em substituição ao economista liberal Roberto Castello Branco. Neste ano, o reajuste tarifário estimado pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) será de cerca de 13%. No sábado (20), Bolsonaro afirmou que vai “meter o dedo na energia elétrica, que outro problema também”.

O presidente disse que mais mudanças ocorrerão nesta semana. A promessa foi feita um dia depois de ter anunciado a troca de presidência na Petrobras. “Assim como eu dizia que queriam me derrubar na pandemia pela economia fechando tudo, agora resolveram me atacar na energia”, disse Bolsonaro a apoiadores em Brasília.

Assessores do Planalto afirmam que uma das propostas para conter a alta é a destinação de R$ 20 bilhões pelo governo para a CDE (Conta de Desenvolvimento Energético) —fundo setorial financiado por consumidores para criar políticas públicas, como redução de tarifas, especialmente para os mais pobres.

As discussões no momento giram em torno da manobra fiscal necessária para permitir uma injeção de recursos desse porte no momento em que o governo também pretende estender o auxílio emergencial para aqueles que ainda sofrem os efeitos da pandemia do coronavírus.

Essa medida deverá ser combinada com outra já em curso na Aneel. A agência reguladora estuda como será a devolução de cerca de R$ 50 bilhões pagos a mais pelos consumidores nas contas de luz. Esse valor foi cobrado a mais pela incidência de PIS e Cofins sobre as tarifas de energia. Em março de 2017, o STF (Supremo Tribunal Federal) reconheceu a cobrança como indevida e determinou a devolução.

A Aneel está calculando de que forma essa devolução será feita. Recentemente, o diretor-presidente da agência, André Pepitone, afirmou que esse recurso pode promover uma redução tarifária de 27,8%. A proposta, segundo ele, é que isso ocorra ao longo de cinco anos. Daria então uma queda de 5% ao ano.

Ainda segundo interlocutores, Bolsonaro quer que essa redução seja mais acelerada nos primeiros anos, por isso cogita o reforço de R$ 20 bilhões à CDE. A pressa se deve à campanha pela reeleição. O presidente quer reverter os danos recentes à sua popularidade.

A intervenção na Petrobras foi uma dessas ações. Indicado pelo ministro Paulo Guedes (Economia), Castello Branco insistia em manter a Petrobras livre de qualquer interferência do governo. Com isso, houve pressão para que ele renunciasse. Porém, Castello Branco não demonstrou disposição para pedir para sair.

Na quinta-feira (18), a Petrobras anunciou reajustes de 10,2% e 15,1% para gasolina —o quarto deste ano— e diesel —terceiro de 2021—, respectivamente, a partir de sexta. No mesmo dia, Bolsonaro disse que promoveria mudanças na estatal e anunciou isenção de impostos federais sobre diesel e gás de cozinha. A ministros mostrou insatisfação com Castello Branco, considerado “insensível” às altas.

A gota d’água para os militares, ainda segundo assessores, foi a declaração de Castello Branco de que uma possível paralisação dos caminhoneiros por causa do aumento do diesel “não era problema da Petrobras”.

Dias antes, o presidente também havia se irritado com outro reajuste, feito pouco antes da eleição da Meda Diretora do Congresso. Para ele, a medida poderia prejudicar os interesses do governo no Legislativo. Com a indicação de Luna para presidir a Petrobras, ganha força a ideia de promover amortecimentos de preços nos combustíveis. A medida usaria o caixa da companhia.

FOLHAPRESS

RN VAI COMEÇAR A VACINAR IDOSOS A PARTIR DE 80 ANOS COM ESSE NOVO LOTE

Telegram O Rio Grande do Norte recebeu nesta quarta-feira 24 um novo lote de vacinas. Ao todo, foram 35 mil doses do imunizante da Astrazene...